Dizem que sonho que se sonha só é só um sonho e sonho que se sonha junto se torna realidade. Essa é a história da Vanessa, e a Vanessa é a pessoa que você veria estampando essa frase na contracapa de seu caderno.

Uma Vanessa sonhadora, cheia de vida, cheia de entusiasmo. Uma Vanessa de mil amigos, de super conexões, sempre cercada das melhores pessoas.

E se sonho é para sonhar junto, era isso o que a Vanessa faria. E assim o fez.

Sonhou um negócio quando já não estava mais feliz em sua rotina de trabalho, quando exercer o bom cargo que tinha na empresa já não mexia com seu entusiasmo no domingo à tarde. Naquela manhã de segunda se reuniu com os amigos mais animados e tomaram café juntos antes de irem cada um ao seu trabalho: “é o que faremos. Sim! É o que faremos”.

Era praticamente um grito de guerra. Saíram dali todos cheios de animação. Seguiram suas semanas ainda trocando mensagens, emails, referências.

Tudo muito incrível. Tudo maravilhoso. Até que o tempo passou e simplesmente nada aconteceu.

Vanessa não se importou, sabia que às vezes as coisas são assim mesmo. E se sonho não é para se sonhar só, chamaria outros amigos e juntos os sonhos iam se realizar.

E assim fizeram. E mais um café de muitos planos. E mais um grito de guerra. E mais algumas semanas de entusiasmo. E nada acontecia.

O nada acontecer foi um fantasma que assombrou Vanessa por anos, muitos anos. Seu cargo ainda se mantinha lá, seus domingos ainda eram mornos, seu coração ainda pedia algo mais, mas os sonhos estavam meio cansados de irem ao papel e nada acontecer depois disso.

Ver nossos sonhos irem mil vezes ao papel e um vazio se abrir depois disso é muito frustrante, nos tira as forças, nos faz perder o brilho nos olhos e mais que isso… nos faz desistir dos próprios sonhos, nos faz acreditar que sonhar é uma grande bobagem.

Estou há um tempo sem notícias da Vanessa, talvez mais de um ano. Quando nos encontramos pela última vez ela estava de malas feitas para a Nova Zelândia,  estava diante de um negócio em pleno vapor, dando super certo, enfim cheio de vida. Não foi um sonho que sonhou junto, mas foi um sonho realizado. Celebramos, celebramos e nos abraçamos antes de ela embarcar para seu ano de aventuras junto ao seu computador, seu negócio pelo mundo, seus domingos iluminados.

…………..

Sonhar e não realizar gera em nós uma sensação de desgaste, de desesperança. A Vanessa pensou em desistir de sonhar por tantas vezes, bem sei o quanto estava mal e cabisbaixa quando nos conhecemos. E agora está radiante pelo mundo. Preparei uma aula sobre a “não-ação”, sobre “as 4 estações da dificuldade de AÇÃO e os caminhos para entrar em movimento” Clique aqui e cadastre-se.