CRITÉRIOS PARA DEFINIR Conteúdos gratuitos x Conteúdos Pagos
Por Paula Quintão
 
Há duas pergunta: quanto eu ofereço de conteúdo gratuito? E quanto eu ofereço de conteúdo pago? São perguntas que ficam perambulando as mentes empreendedoras, principalmente as mentes que criam negócios baseados no conhecimento. E só hoje elas chegaram pra mim duas vezes.
 
Sim, conhecimentos têm valor.
Todos os conhecimentos são valiosos. Vamos partir dessa premissa e assim estaremos de acordo desde o início.
 
E o que determina que algo possa ser vendido? Que esse algo tenha valor.
 
Aí, meu assíduo leitor, nós nos encontramos num ponto de interseção. Se todo conhecimento tem valor e se tudo que tem valor pode ser vendido, qual critério vai nos tirar do enrosco que define aquilo que eu ofereço como conteúdo gratuito e aquilo que ofereço como conteúdo pago?
 
O que vou fazer é te contar como eu saí desse enrosco já há uns anos. Talvez seja suficiente para clarear o que você pode fazer por aí.
 
Percebi que qualquer negócio online se sustenta sobre o pilar que tem três tipos de conteúdo. 1. Gratuito livre (esses públicos) // 2. Gratuito privado (esses que precisam de inscrição) // 3. Pago.
 
Para manter o equilíbrio entre o dar e o receber a parte gratuita não pode ser maior que a parte paga. Essa é uma lei básica, há que se equilibrar o dar e o receber. Existe alguma patologia se esses dois lados da balança estão muito desequilibrados, ok?! Investigue.
 
Agora o critério que uso. É simples, me diga se fica claro para você. Vou crescendo em profundidade entre um tipo de conteúdo e outro. Do gratuito livre para o pago eu vou aprofundando, aprofundando, aprofundando… quanto mais profundo, mais valor tem, porque é raro, porque são conexões que você não encontra por aí, porque poucos olhos são capazes de enxergar sem que eu esteja lá intermediando o ângulo de visão.
 
Por exemplo aqui estou falando em algumas linhas sobre esse critério, numa aula de um curso eu vou analisar com você toda a espiral que torna o negócio sustentável e conectado ao seu ser, vou esmiuçar os tipos de conteúdo e mostrar como é minha forma de criação e inspiração.
 
Meus cursos nada mais são do que formas aprofundadas de enxergar o que está na superfície. E sim, o que está na superfície é o ponto de partida para os mergulhos mais profundos. As duas partes são valiosas, superfície e profundidade. Só que no profundo muitas vezes está aquilo que somente eu consegui ver, aí isso tem muito valor, tem um valor que precisa ser percebido por quem acessa.
 
Dessa forma meus conteúdos gratuitos e pagos criam entre si uma grande dança de colaboração. Nuances das profundidades você encontra em território livre. E para quem quer mergulhar é possível por qualquer um dos meus cursos pagos.
 
Colha por aí suas pistas sobre como poderia aplicar esse meu modo de critério e se precisar de ajuda me escreve.
 
Paula Quintão
Mentora de Negócios, Doutora em Sustentabilidade e Escritora.
Criadora da Escola de Rumos, do Portal Coragem Para Empreender e da Editora Suban A Los Techos.
15.10.2018
Você encontra mais de Paula Quintão em http://www.paulaquintao.com.br