Grandes coisas, diariamente, a vida tem nos oferecido. No entanto, por muitas vezes, não enxergamos essas possibilidades. Talvez pelo fato de que nos achamos, por vezes, incapazes. Mas quem disse que já nascemos preparados para a vida, para o novo, para os desafios?

Quero acreditar que nossa vida só tem sentido porque existem os desafios, as lutas, e também as esperanças, e a certeza de que coisas novas podem nos acontecer. Nossa vida não é estática. Muito pelo contrário. Somos movidos pelo um forte dinamismo que nos envolve todos os dias. Essa é uma das razões de nossa vida.

É preciso que despertemos para novas realidades. Novos projetos. Novas conquistas. Isso nos leva a pensar sobre o que temos feito para alcançar nossos objetivos. E mais, quais os sonhos temos alimentado em nossas vidas.

Pois bem, tudo começa com um desejo. Não um simples desejo, mas um anseio ardente por atingir um alvo, um objetivo bem definido. Em outras palavras, ter um foco, uma direção que nos guie pelo caminho das recompensas, por conseguinte, levar-nos-á ao sucesso.

Assim, nossos desejos serão transformados em ação. O tamanho de uma pessoa nos negócios que empreende será medido pelo tamanho de seu sonho. Quanto maior for o sonho; maior será esta pessoa.

Eu Empreendedor

Há alguns anos, muito provavelmente, essa palavra “empreender” causar-me-ia certo medo. Talvez pelo peso desse vocábulo e os poucos recursos de que dispunha à época. Estamos falando dos anos 90.

Hoje há uma nova dinâmica no mundo do empreendedorismo. Muitas são as possibilidades surgindo a cada instante. E diferente daqueles tempos idos, dispomos dos mais diversos e modernos recursos. Por exemplo, gosto de escrever, entretanto, há 20 anos, seria quase que impossível um escritor desconhecido conseguir lançar um livro sem uma forte indicação. Em nossos dias, qualquer pessoa que disponha de uma ideia e queira colocá-la em um livro, há muitos meios possíveis. Pode-se fazer isso hoje mesmo, com pouco investimento, ou mesmo investimento financeiro praticamente zero.

Mas e no caso de empreender um negócio com quase nada de recursos financeiros, seria possível? Eu diria taxativamente que sim. Meu começo foi exatamente esse: não dispunha de grandes cifras para investir. Entretanto, sabia que algo poderia ser feito, ainda que não soubesse por onde começar naquele momento.

Tudo começa, conforme já dissemos, com um desejo e um sonho a ser realizado. Você tem um sonho e deseja realizá-lo?

Então conheça um pouco a minha história…

Por volta do ano 2000, tomei conhecimento da possibilidade de desenvolver um projeto (no meu caso na área de educação) online. A princípio, senti-me bastante motivado pela ideia. Desenvolver um curso online era exatamente isso que eu queria. Porém, veio o primeiro problema: eu não conhecia nada sobre como desenvolver esse curso e as plataformas EAD que me eram oferecidas custavam muito caro. Que fazer, então, desistir?

Absolutamente, não! Quando o desejo é atingir uma meta específica, uma porta, com toda certeza, se lhe abrirá.

Siga seu sonho motivado pelo seu desejo. Essa era a minha bandeira de luta.

Assim, busquei alternativas possíveis. Comecei a estudar o código HTML para construção de páginas web, pelo menos o básico. Muita coisa aprendi por essa época, e o fato é que meu curso foi ao ar, com muitas limitações, mas com excelente conteúdo.

Todavia, a necessidade nos orienta a ir atrás de algo mais. Percebi que só com HTML meu trabalho não atingiria o objetivo final proposto. Havia a necessidade de páginas mais dinâmicas para que proporcionassem mais interatividade entre professor e alunos. Fui levado a conhecer o básico da linguagem PHP. Fiquei extremamente encantado com o meu progresso.

Que lição posso tirar disso tudo? Simples, jamais devemos deixar que nossas limitações nos impeçam de construir o nosso sucesso, nosso projeto de vida. Porém, não devemos seguir no escuro. É necessário um planejamento estratégico.

Planejamento, eis aqui a palavra chave que todo empreendedor deve conhecer e realizar. Em um empreendimento de sucesso, apenas o conhecimento não é suficiente, é preciso que se conheça o lugar em que se está pisando, e isso só é possível a partir de diretrizes claras por meio de um plano de trabalho.

Assim, à medida que meu progresso ia aumentando, era levado a atingir novos alvos. Quando as coisas realmente acontecem, somos impulsionados a dar o passo seguinte. Foi exatamente isso que fiz. Dei novos passos e quero ir mais longe.

Por volta do ano de 2011, com o objetivo de criar uma empresa na área de cursos, treinamentos e desenvolvimento pessoal, decidi fazer psicologia. Passados cinco anos, neste ano de 2016, pela graça de Deus, conclui o curso.

Novos planos, novos objetivos e novas metas.

Seguir uma carreira empreendedora sempre se constituiu em um desafio diante de expectativas, sonhos e, muitas vezes, da incerteza sobre o que seguir, que caminho trilhar e que satisfaça aos nossos desejos. Assim, considerando a satisfação de se fazer aquilo que lhe apraz, gostaríamos de continuar essa reflexão a partir de um pensamento de Super (1975): “A satisfação é o mais lógico e talvez o mais importante aspecto da adaptação ao trabalho para aqueles que pretendem relacioná-la aos interesses vocacionais”. (p. 115)

A orientação profissional é, provavelmente, o caminho mais seguro diante dessas decisões. Saber fazer a escolha certa, encontrar uma atividade que o satisfaça é, com certeza, uma maratona, de modo que quem for melhor orientado subirá no pódio.

Assim, a escolha de empreender não deve ser feita simplesmente ao acaso, aleatoriamente. Requer, sobretudo, um cuidado especial. Concordamos que a satisfação vale muito nessa escolha, entretanto, uma investigação mais acurada dos fatos pode lhe ajudar a encontrar “o caminho das pedras” e facilitar-lhe a entrada triunfante no mundo dos negócios.

Bem observado por Ernesto-da-Silva (2007), as empresas, bem como os profissionais, estão, cada vez mais, a procura de aprimoramento e autodesenvolvimento, cujo objetivo central é a preservação e a expansão de seus espaços.

No entanto, como melhorar sem a orientação adequada? Como encontrar espaço sem treinamento e reorientação em torno de novos paradigmas que definem as empresas deste século?

De acordo com (Super, 1975), uma ocupação traduz-se naquilo que a pessoa executa. Já o termo vocação, vai mais além, é o que ele chama de a pessoa sentir-se atraída por fazer alguma coisa, construindo, assim, uma carreira numa sequência de objetivos e metas para sua vida.

Compreende-se, com isso, que a construção de uma carreira solidificada, bem sucedida, requer uma pessoa decidida, que sabe aonde deseja chegar, que tem objetivos claros e bem definidos. Em outras palavras: um projeto de vida.

Para (Super, 1975), fazer uma escolha profissional, não é pensar em algo parado, mas num processo dinâmico que envolve a pessoa de maneira gradativa, numa série de experiências que ocorrem ao longo da vida e que necessitam de escolhas.

Entendemos que o momento atual por que passa a sociedade em todo o mundo é de extremo dinamismo, num contexto globalizado e bem diversificado. Assim, não queremos ser inflexíveis em nossas considerações e ponderações ao que concerne ao nosso projeto empreendedor.

Portanto, nosso conselho é que fiquemos atentos às novas mudanças que sempre estão ocorrendo neste mundo moderno. De modo que, à medida que os fatos se desenrolem na história deste mundo, busquemos, pois, estar abertos às propensas mudanças econômicas e sociais. Talvez assim possamos construir um empreendimento que se enquadre no contexto atual de um povo em eterno crescimento profissional e pessoal.

Para concluir essa reflexão, enfatizamos aos que pretendem empreender, por mais simples que seja seu empreendimento, que não se atingirá o sucesso se não se sentir encorajado para enfrentar os desafios. E para sentir-se encorajado é preciso acreditar nos sonhos e não retroceder diante dos desafios. Todavia, não menos importante também é o apoio de colaboradores e pessoas que acreditam em nosso projeto.

Acreditarmos em nossos sonhos é o que nos motivará à realização de nosso projeto de vida!

 

Referências:

Ernesto-da-Silva, Carlos Roberto. (2007). Orientação Profissional: utilidade, valor e impacto na gestão carreira e na vida pessoal. (Dissertação de mestrado não publicada). Universidade de Brasília – UNB – Brasília.

Super, D. E. & Jr. M.J.B. (1975). Psicologia Ocupacional. (Trad. Esdras do Nascimento e Jair Ferreira dos Santos). São Paulo. SP. Atlas.